terça-feira, 5 de junho de 2018

Artigo - Coletores de ar que condensam a água


Coletores de ar que condensam a água
Fenômenos de Transporte
Luís Fernando da Silva Floriano e Taís Cachoeira Vargas
Introdução
Podemos observar que a superfície terrestre é constituída por 70% de água, sendo a maior parte imprópria para consumo, onde apenas 3% são de água doce, encontrando-se em geleiras e reservas subterrâneas.
Por esse motivo, e também pela irregular distribuição de água no mundo, existem várias regiões que sofrem com a falta de água. Entre os países com escassez de água destacam-se as nações situadas no Oriente Médio, na África, na Ásia e também nas Américas.
A falta de água afeta não só a saúde humana, mas também o desenvolvimento socioeconômico da sociedade e o rumo das relações entre nações. Com isso, a escassez de água passa a preocupar os governos, que tentam criar projetos para solucionar estes problemas. Eles são enfrentados com tecnologia e planos de gestão da água.
Uma solução encontrada para combater os problemas a respeito da falta de água em países em desenvolvimento, que não possuem acessibilidade à água para uso próprio e de forma sustentável, foi a criação de coletores de ar que condensam a água, como, por exemplo, coletores de névoa, neblina ou cerração.
Os coletores de ar são máquinas que condensam a umidade da atmosfera em água potável, de forma similar ao ciclo das chuvas, com a condensação e precipitação de massas de ar quentes e úmidas. Existem duas técnicas diferentes: A primeira é o resfriamento do ar e a consequente condensação da água, que depois é filtrada e armazenada em pequenos tanques, como um ar condicionado, e a segunda envolve uma solução concentrada de sal, que absorve a umidade do ambiente, de onde é extraída a água, que também passa por filtração.
Coletores de névoa

Os coletores de névoa são telas de polipropileno instaladas entre dois postes que se erguem sobre locais áridos. Estas telas são posicionadas na direção contrária ao vento, e são de uma tecnologia simples.
Esse método de obtenção de água já tem sido utilizado na região chilena do Atacama, o deserto mais árido do mundo, onde as gotas d'água da camanchaca, ou “chuvas horizontais”, que é a névoa costeira que cobre durante a madrugada estes céus límpidos, se condensam na malha, antes de deslizarem para os recipientes localizados abaixo para acumular, gota a gota, o precioso líquido. Essa neblina é composta por minúsculas gotas de água, que, de tão leves, se mantêm suspensas no ar. Se a nuvem encontrar algum tipo de obstáculo, as partículas de água se chocam umas com as outras e começam a se concentrar. Alcançam, então, peso suficiente para cair, virar gotas de água, e deixar um rastro de umidade por onde passam. Assim criou-se as atrapanieblas (capta-nuvem), que são artefatos criados para tirar, literalmente, água do ar.
  
Como é feito
Para instalar esses coletores de água são esticadas malhas de polietileno de alta densidade, de até 150 metros de largura, entre dois postes de madeira ou aço. A neblina passa pela malha, mas os fios de plástico retêm parte da umidade, que condensa, vira água e escorre até uma canaleta que leva a um reservatório. 

Vantagens
São instalações baratas e eficientes e 100% sustentáveis, onde cada metro quadrado da malha capta, em média, 4 litros de água por dia.
Não atrapalha a flora e a fauna, e funciona durante quase o ano todo, o que torna possível planejar a produção de água. 
Além disso os atrapanieblas não utilizam luz elétrica. Diferentemente de outros métodos caros de obtenção de água em regiões secas, como a dessalinização da água do mar, eles não precisam de energia para funcionar. O vento trata de espremer as nuvens pelas malhas, e a gravidade cuida de carregar a água até os baldes.
Há certas regiões do Chile em que as neblinas fornecem dez vezes mais água do que as raras nuvens de chuva nesta região. Em quatro anos a comunidade de Penã Blanca conseguiu coletar 800 mil litros de água da neblina. O suficiente para começar o reflorestamento de uma área de 100 hectares e alimentar a esperança de resgatar a vida dos vales e montanhas.
Em Alto Patache, os coletores de névoa abastecem completamente a estação de pesquisa científica da Universidade Católica, onde a água recolhida sai normalmente das torneiras. 
O uso dos coletores de névoa se apresenta como uma solução para abastecer de água pequenas comunidades costeiras do norte chileno, que sofrem com a aridez extrema de uma região em que quase não chove em todo o ano.
O maior complexo de malha do mundo, contudo, localiza-se em Tojquia, Guatemala: são 60 captadores que, ao todo, compõem uma rede de 1.440 m² e captam quase 4 mil litros de água diariamente, abastecendo cerca de 30 famílias.
Armazenamento
A água que é recolhida por esse coletores de névoas são do mesmo sabor que a água da chuva e não encontram-se 100% potável, porém a transformação em potável não é complexa ou cara, se o objetivo for utilizar a água para consumo humano. Para outras atividades não há nenhum problema em usá-la da forma como ela chega.
FogQuest
Há um projeto que cada vez mais tem ganho destaque, força e ajuda a respeito de coletores de ar que condensam a água, através da neblina, baseado nos mesmos conceitos citados anteriormente, chamado FogQuest: soluções sustentáveis de água.
A FogQuest é um projeto que, em locais úmidos, utilizam a natureza, de forma adequada, para captar água, como os geradores atmosféricos de água. O vídeo abaixo mostra a montagem de uma grande rede de náilon, que entram em contato com a neblina e a transformam em gotículas de água, que são escoadas até um reservatório.
·         O que é o projeto?
A FogQuest é uma organização de caridade sem fins lucrativos, dedicada ao planejamento e implementação de projetos de água para as comunidades rurais nos países em desenvolvimento. Ela baseia-se na experiência adquirida em projetos realizados desde 1987, que mostraram repetidamente a viabilidade e eficácia do uso de coletores de nevoeiros para produzir água limpa para as pessoas nos países em desenvolvimento de todo o mundo.
·         Quando foi fundada?
A FogQuest foi fundada no ano 2000.
·         Quem foram os fundadores do projeto, e onde foi organizada?
Sherry Bennett e Bob Schemenauer, no Canada.  
·         Por que foi fundada?
A FogQuest foi fundada após inúmeros pedidos que eram realizados com freqüência para o fornecimento de água em locais onde a mesma não era disponibilizada de formas convencionais e acessíveis, como em rios, poços, oleodutos e outros.  Esses pedidos, somados ao interesse das Conferências Internacionais de Nevoeiro e Cobrança de Nevoeiro, nos anos entre 1998 e 2001 foram a concretização para a fundação e início do projeto.
·         Como funciona?
São utilizados coletores de nevoeiro e de chuva inovadores e eficazes para que seja realizado um uso eficiente dos recursos naturais de fontes atmosféricas da água. É realizada a implantação e continuamente uma supervisão dos coletores.
·         Quais os custos?
É uma organização pequena e em sua totalidade opera de forma voluntária, sem salários pagos aos envolvidos no projeto. São realizados todos os esforços possíveis para que haja o mínimo de custos, relacionados a  escritório, viagens, publicações, etc.
Em diversas ocasiões os próprios voluntários do projeto arcam com as despesas necessárias, subsidiando ou pagando sobre o que for necessitado para o projeto.  Com isso a FogQuest utiliza pelo menos 90% das doações recebidas diretamente em projetos de névoa de água nos países em desenvolvimento.
·         Como se mantém?
A FogQuest recebe seus fundos operacionais a partir de três fontes: verbas de instituições para projetos, doações de pessoas físicas e jurídicas e de taxas de adesão anuais pagos por indivíduos.
·         Onde opera?
O projeto realiza seus trabalhos em pelo menos oito países, dentre eles estão o Chile, Equador, Guatemala, Haiti, Peru e entre outros.

Conclusão
Por fim podemos constatar que infelizmente o projeto de coletores de ar que condensam água ainda não é aplicável no mundo todo, por causa das condições necessárias de clima, temperatura e interesse governamental. Porém há uma ideia futura de implementar sistemas como este  nas comunidades onde o abastecimento de água é precário.
Referências
·  http://mundoeducacao.bol.uol.com.br/geografia/paises-com-escassez-agua.htm
· http://www.rumosgeograficos.com/2014/03/agua-uma-questao-para-o-mundo-todo.html
·http://g1.globo.com/natureza/noticia/2015/05/veja-solucoes-de-seis-paises-para-vencer-falta-de-agua-e-o-desperdicio.html
·http://super.abril.com.br/crise-agua/solucoes.shtml#solucao5
· https://www.youtube.com/watch?v=e2Wj8y_xgLg&spfreload=10
· http://www.fogquest.org/
· https://www.youtube.com/watch?v=6MqfdXzPJP4
·http://www.ecycle.com.br/component/content/article/37-tecnologia-a-favor/4513-pesquisa-obtem-agua-com-qcoletor-de-nevoaq-no-deserto-chileno-do-atacama.html
·http://planetasustentavel.abril.com.br/noticia/ambiente/a-agua-que-vem-do-ar-superinteressante-830222.shtml
·http://g1.globo.com/globo-reporter/noticia/2014/06/homens-coletam-agua-de-neblina-para-fazer-reflorestamento-no-chile.html
·http://g1.globo.com/natureza/noticia/2016/05/pesquisa-obtem-agua-com-coletor-de-nevoa-no-deserto-mais-arido-do-mundo.html

Obrigado pela atenção!

fonte: http://fenomenosdaengenharia.blogspot.com/2016/06/coletores-de-ar-que-condensam-agua.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário