terça-feira, 11 de agosto de 2015

Person Of Interest - valor de PI


O cara que criou a internet...

O episódio da semana passada de Person of Interest teve tudo a ver comigo. Como estudante de computação achei interessante a relação com computadores e códigos e como encaixaram bem a história apesar de faltar um pouco a ação que o Jim Caviezel proporciona.

Com Reese na prisão, Finch teve que sair da sua zona de conforto para investigar o número liberado pela Máquina, e o caso não poderia ser mais parecido com ele, onde um jovem gênio passava-se por um estudante normal enquanto estava relacionado ao tráfico de drogas e à morte de seu irmão mais velho.Os plots do episódio foram bem descritos e a surpresa no desfecho foi muito boa. Eu já esperava que o caso não poderia ser tão simples como uma vingança aos assassinos do irmão, mas tinha previsto que Caleb (o  "CPF" da vez) era na verdade um psicopata, já que a característica de gênio está na grande maioria das vezes relacionada a esse tipo de vilão.


Uma das partes mais legais, na minha opinião, foi Finch atuando como professor. Tudo bem, a primeira parte de somar os números de 1 a 100 foi bastante óbvia (a mais básica soma de termos de uma P.A. do ensino médio), mas a aula em que ele explicou sobre a relação do PI na circunferência foi sensacional. Sempre gostei de matemática, e de ler livros como "O Último Teorema de Fermat", coisas como essas sempre me fascinaram. Nunca tinha parado pra pensar, mas realmente, como as casas decimais do PI nunca se repetem, TUDO está contido lá, desde a minha data de nascimento até a data da minha morte. E a explicação continuou, onde ele disse que convertendo uma sequência de números para letras, até esse texto  que acabei de escrever está contido dentro da razão entre o comprimento de uma circunferência e seu diâmetro. É estúpido de tão simples.

Mas deixando a matemática de lado, voltemos ao episódio. Enquanto Finch lidava com o programador super gênio, Carter era obrigada a quebrar regras para tentar libertar Reese da prisão, em 48 horas, com a ausência de provas, ele poderia ser solto. Essa foi a parte mais fraca do episódio na minha opinião. Achei muito fácil a maneira como ela adulterou as provas, e se tivesse dado tudo certo, os roteiristas perderiam toda a minha credibilidade. Mas, como sempre, no final, isso levou à própria detetive ter de usar suas táticas interrogatórias de quando esta servia ao exército no próprio John Reese. Com certeza, são cenas que prometem no próximo episódio.


No mais, o episódio foi bom. O final surpreendente, onde Finch pôde salvar a vida de Caleb, revelando um pouco do seu passado, e passando um pouco do seu exemplo com a Máquina, e o que achei ridículo mas ao mesmo tempo interessante, foi que ele sugeriu que ele mesmo havia criado a Internet atual, quando hackeou a antiga Arpanet dos tempos de Guerra Fria. Interessante pois conseguiram ligar a ficção aos fatos reais, mas não pude segurar o riso quando vi a cena. A nota do episódio é 9.6, e a justificativa foi realmente a minha ligação com o tema principal. Muito provavelmente, quem não gosta de computadores e matemática achou o episódio um lixo. O próximo episódio vai ao ar no dia 10/01 e o nome é Prisioner's Dilemma, dá pra ter uma ideia de que será focado em Reese e a sua tentativa de escapar da prisão. Até breve.

PS: Foi só eu, ou vocês também sentiram falta da Root no meio desse episódio, já que o assunto tem tudo a ver com ela?

Nenhum comentário:

Postar um comentário